Utilizar os serviços de entrega já era uma tendência forte para os consumidores do mundo todo, mas a crise ocasionada pelo coronavírus trouxe maior demanda para os restaurantes usarem este recurso. 

Aplicativos como iFood, Rappi, Ubereats são exemplos de como o serviço é popular. De acordo com a IFB (Instituto de Foodservice Brasil), entre 2017 e 2018, o serviço de delivery no Brasil aumentou 23%, e em 2019 houve acréscimo de 20%. 

Mal 2020 começou e a pandemia do Covid-19 mudou as rotinas das famílias que, com medo da contaminação, deixaram de frequentar lanchonetes, bares e restaurantes, fazendo com que os serviços de delivery progredissem. 

Como funcionam os apps de delivery?

Muitos pedidos eram (e são ainda hoje) feitos por telefone: o cliente liga e o atendente do outro lado da linha anota o pedido, enviando a comida depois, através do motoboy. O que os aplicativos de delivery fizeram foi tornar esse processo mais fácil e rápido, onde o cliente pede comida pelo smartphone com poucos cliques

Quando o cliente baixa no seu celular, o aplicativo de delivery mostra as opções de restaurantes e bares que fazem entrega naquela região. O consumidor pode visualizar o cardápio e os preços, fazer o pedido e pagar com cartão de crédito.

É o empreendedor quem cadastra todas as informações sobre pratos, sabores, preços, horários de atendimento e tipos de pagamento no app. É necessário pagar uma determinada comissão por cada pedido ou valores mensais, que variam de acordo com cada plataforma.

As vantagens de se cadastrar em um app de delivery de comida são inúmeras. Veja algumas:

  • alcance maior do público
  • alta demanda de pedidos
  • agilidade e facilidade para receber e atender pedidos
  • facilidade para receber o pagamento

Quer saber como cadastrar seu estabelecimento nos principais aplicativos de entrega de comida? Continue aqui que vamos mostrar.

Como se cadastrar nos principais apps de delivery

Se você tem um bar ou restaurante e ainda não se cadastrou em plataformas de entrega de comida, agora é o momento para fazer isso. Veja como funciona o serviço em três aplicativos conhecidos.

Rappi

Para cadastrar seu restaurante no Rappi, você tem que mandar um e-mail para sejaparceiro@rappi.com e esperar um retorno da equipe da empresa. 

Com o cadastro aprovado, você terá acesso a um aplicativo exclusivo para parceiros e pode inserir seu cardápio e ativar as vendas do restaurante. É cobrada uma taxa de comissão por cada entrega realizada através do app.

Uber Eats

Para se cadastrar no Uber Eats, é preciso entrar em contato com a equipe de parceiros preenchendo um formulário de interesse. O valor da taxa de serviço é cobrada com base no total de vendas pelo aplicativo.

iFood

O iFood é o aplicativo mais conhecido, e se você pretende cadastrar seu restaurante, saiba que é cobrada uma parcela de 27% de cada pedido caso a entrega seja realizada pelo app.

Além disso, há uma mensalidade de R$ 130,00 por estabelecimento. Já se o seu restaurante for o responsável pela entrega, o valor da comissão cai para 12% do pedido e a mensalidade cai para R$ 100,00. 

No vídeo abaixo, você pode aprender a fazer o cadastro no iFood rapidinho:

Como destacar seu restaurante nos apps de delivery

Há coisas essenciais para fazer a sua marca se destacar da concorrência e fazer o consumidor clicar mais vezes no perfil do seu restaurante nos aplicativos de entrega de comida. 

Além da boa gastronomia, uma dica básica é investir em fotos bonitas, que podem fazer a diferença na atração de mais clientes para sua marca. Não só priorize a produção de fotos incríveis, como também use sua criatividade para nomear os pratos do cardápio com títulos chamativos. Confira mais ideias:

Personalize o cardápio de acordo com a época do ano

Seu restaurante já tem um cardápio consolidado? Então tente usar os pratos que sua cozinha já oferece relacionando-os a datas específicas. Por exemplo, no Dia dos Pais você pode mudar os nomes dos pratos provisoriamente, como por exemplo “A la minuta do Papai”. 

Crie promoções

Promoções como “Almoço com 70% de desconto” podem fidelizar seu público. Outra forma de chamar a atenção é oferecer a entrega grátis ou a bebida cortesia nas refeições. Outra tática que quase não falha: combine o prato principal com a sobremesa e faça um combo especial. Veja outras ideias:

Faça um sorteio no Instagram

Que tal usar a rede social mais famosa do momento para sortear uma entrega e divulgar que seu restaurante está no app? Você pode oferecer um prato (por exemplo, uma pizza grande) como prêmio para quem seguir o perfil, curtir a foto oficial do sorteio e marcar três amigos nos comentários. 

Com certeza os seguidores do seu restaurante vão se sentir prestigiados, e quem ainda não segue seu perfil vai poder ficar por dentro das novidades, além de participar do sorteio.

Dê um cupom de desconto

Sim, aquele bom e velho cupom de desconto sempre garante os efeitos desejados. No aplicativo do iFood, por exemplo, os restaurantes podem oferecer cupons de R$5 e R$10 para que o cliente os insira no fechamento da compra. Outra modalidade do iFood é o cupom fidelidade: a cada 3 ou 5 compras em restaurantes selecionados, o cliente recebe um cupom de desconto maior, geralmente em torno de R$20 ou R$30.

Ofereça um mimo para o cliente

Na saída dos restaurantes, é comum a oferta de café ou chá, não é mesmo? E que tal tornar essa prática comum também no delivery? Claro que café ou chá não são os mais indicados, mas você pode oferecer um chocolate com embalagem personalizada, com as cores e a logomarca de sua empresa, por exemplo. 

O chocolate é um mimo de baixo custo, e uma embalagem personalizada - comum no universo dos vinhos e das cervejas - pode agradar em cheio, pois provoca um senso de exclusividade. Com certeza o cliente se sentirá prestigiado com o gesto de carinho do seu restaurante.

moto de delivery e mapa

Seja rigoroso com as medidas de higiene 

Informe-se sobre os protocolos dos órgãos de saúde contra o Covid-19, e oriente também seus funcionários quanto às normas de higienização pessoal e do local onde são preparados os alimentos. 

Se possível, espalhe cartazes com as medidas que todos devem tomar para evitar a disseminação do coronavírus, além de colocar frascos de álcool em gel 70% em vários locais estratégicos. As superfícies devem ser frequentemente higienizadas - a água sanitária é um dos produtos mais eficazes para desinfetar as áreas da cozinha. 

Certifique-se de que o nome de seu estabelecimento é exclusivo 

Uma marca serve para identificar um produto ou serviço, e por meio dela o consumidor pode reconhecer e encontrar os produtos e contratar os serviços de sua preferência, sem correr o risco de ser enganado. 

O nome de uma lanchonete, bar ou restaurante é a marca do negócio. É através dela que os clientes podem reconhecer o serviço. Imagine que um restaurante no seu bairro resolve se cadastrar no iFood ou no Ubereats com o mesmo nome que o seu estabelecimento. Ficaria bem difícil para o consumidor escolher um deles, certo?

E pior, um restaurante possivelmente tiraria os clientes do outro. E isso é possível de acontecer. Veja bem: o CNPJ e o registro na Junta Comercial do Estado é simplesmente a regularização e abertura de uma empresa, mas não garantem o direito à utilização com exclusividade sobre o nome e a marca do seu negócio. 

Então, em um país com mais de 20 milhões de empresas, é fácil existir mais de um estabelecimento utilizando o mesmo nome. A única forma de proteger a sua marca é fazendo o Registro dela no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). Continue lendo para entender.

Registre sua marca e evite cópias de terceiros

O Registro de Marca é um título concedido pelo INPI que assegura a propriedade sobre a marca e o direito de utilizá-la com exclusividade no segmento de atuação em todo o Brasil. O Registro protege uma marca de ser utilizada ou copiada por terceiros sem autorização.

O Registro de Marca é tão essencial quanto o registro de uma empresa na Junta Comercial (CNPJ). Não ter este registro pode trazer diversas consequências e, inclusive, levar à perda da marca e ao pagamento de multa indenizatória. 

Se a marca de seu restaurante não é registrada, qualquer concorrente pode utilizá-la e o empresário não pode fazer absolutamente nada, pois não está protegido perante a lei. Ou seja, só é dono de verdade de uma marca quem possui o Registro! 

O processo de pedido do Registro de Marca pode levar 12 meses para ser concluído, e apenas após a emissão do Certificado de Registro de Marca é que a mesma ficará protegida. Você será proprietário da marca por 10 anos e pode renovar a cada década, sem limite de prorrogações.

Percebeu a importância de ter sua marca registrada e ter um nome exclusivo no segmento de alimentação? A única forma de se proteger contra cópias é registrando o nome de seu estabelecimento.

Como iniciar o processo de Registro de Marca de seu restaurante 

O processo é bastante complexo, mas de forma resumida, acompanhe as principais etapas:

  1. Realize uma pesquisa de marca registrada;
  2. Defina a classe de registro de marca;
  3. Reúna os documentos;
  4. Dê entrada no processo e pague a GRU (Guia de Recolhimento da União);
  5. Acompanhe o processo com frequência.

#1 Realize uma pesquisa de marca registrada

Para saber se o nome que você escolheu para o seu restaurante ainda não foi registrado, é preciso realizar uma pesquisa no site do INPI para checar se já existe um marca registrada com um nome igual ou semelhante ao seu. Depois de averiguar que sua marca pode ser exclusiva, pode partir para a segunda etapa.

#2 Defina a classe de Registro de sua Marca

Sim, você precisa saber identificar em qual classe de marca do INPI o seu negócio se enquadra. Os registros das diferentes marcas são identificados de acordo com 45 classes, que reúnem informações sobre produtos e serviços. Ou seja, toda marca é atrelada a uma dessas classes no site do INPI.

A classe muda, por exemplo, se a sua empresa presta serviço ou se produz um produto ou, ainda, se produz um produto e oferece também um serviço.

Veja: uma fábrica de roupas (que produz um produto) e também tem loja (vende o produto) deve ser registrada em uma classe de produtos e, obrigatoriamente, de serviço. Ou seja, este tipo de negócio precisa de proteção da marca em duas classes.

A definição da classe no INPI não é uma tarefa tão simples. Uma marca registrada em uma classe errada (que não é na mesma área que a empresa atua) traz inúmeros riscos para a marca. Neste artigo, você pode entender um pouco sobre as classes de marcas do INPI. 

#3 Reúna os documentos necessários

Você pode optar por fazer o pedido de registro da marca com o seu CPF (pessoa física) ou com o CNPJ da sua empresa (pessoa jurídica). 

São necessários os seguintes documentos para pessoa física:

- CPF

- RG

- Comprovante de residência

- Documento que comprove o exercício da atividade

- Logomarca (não é obrigatório)

Documentos para pessoa jurídica (CNPJ):

- Cópia do contrato social; Requerimento de Empresário; Certificado do MEI; Estatuto Social

- Cópia da última alteração contratual, se tiver

- Cópia do CNPJ atualizado

- RG e CPF do administrador legal da empresa ou presidente (em casos de associação)

- Logomarca (não é obrigatório)

Através do site, um formulário extenso tem que ser preenchido, comprovando através desses documentos que você é mesmo o “dono” da marca que pretende registrar. Mas quando o INPI inicia o processo de avaliação do pedido de Registro podem ser solicitados novos documentos.

#4 Dê entrada no pedido de Registro de Marca

Acesse o site do INPI, faça seu cadastro, gere a GRU (Guia de Recolhimento da União) e efetue o pagamento. Apenas após quitar a GRU, dê entrada no pedido no site e-marcas

#5 Acompanhe com frequência seu processo

Não basta entrar apenas com o pedido de registro,  é necessário acompanhar com frequência o andamento de seu processo no site do INPI. O órgão pode solicitar novos documentos ou podem ocorrer outras situações que exijam um posicionamento do titular. 

Importante: caso você perca o prazo para pagamento da GRU, ou qualquer outro prazo relevante, seu processo será arquivado. Isso implica na extinção do mesmo, e será necessário dar entrada em um novo pedido de registro para proteger a sua marca.

Baixe o checklist completo para entrar com o pedido de Registro de Marca:

checklist Registro de Marca

Seu restaurante está aberto ao público? Fique atento a essas dicas

Dentro do estabelecimento, evite aglomerações de clientes ou funcionários, já que a falta de distanciamento aumenta o risco de transmissão do coronavírus. Coloque as mesas dispostas com certa distância entre uma e outra, e estabeleça apenas dois lugares por mesa.

Deixe disponível álcool em gel 70% em todos os ambientes de seu bar ou restaurante, tanto para os funcionários como para os consumidores.

Se você trabalha com serviço de buffet, disponibilize luvas descartáveis e peça para que os clientes usem-nas para se servir. O uso de máscara também deve ser obrigatório no buffet. 

No caixa, faça marcações no chão para que os clientes mantenham uma distância de pelo menos dois metros enquanto esperam na fila. Uma outra dica é proteger as maquininhas de cartão, higienizando-as frequentemente ou embalando as máquinas com plástico-filme, facilitando a limpeza. 

Aliás, é importante também priorizar as transações com cartão de crédito ou débito, caso seja possível, pois cédulas de dinheiro podem carregar o vírus. 

----

Conte para a gente como seu restaurante tem se destacado da concorrência durante este período de crise.

>> [eBook 100% Grátis] Passo a passo de como Registrar sua Marca e proteger sua empresa acertando de primeira. Baixe agora o Checklist! <<