O mercado da educação está em constante transformação. E com a chegada da internet, esse processo de transformação acelerou-se bastante. Hoje é possível encontrar praticamente todos os tipos de cursos online

Tem desde cursos de como “conquistar um namorado” até como “criar calopsitas” e por aí vai. Quando um conteúdo está disponível online é possível que qualquer pessoa estude, no seu próprio ritmo e onde quer que esteja no mundo. A flexibilidade é incrível.

Paralelamente ao setor de educação, a tecnologia também fez o ser humano mudar sua forma de consumo. Jornais e revistas podem ser lidos online. Compras podem ser feitas sem sair do sofá. Uma estante inteira de livros agora cabe em um único dispositivo (Kindle) e os sites de streaming disponibilizam milhares de filmes e séries sem que você precise ir a locadoras. 

Os cursos online - mesmo que já existam presencialmente - também oferecem essa vantagem: o aluno estuda sem sair de casa.

E esta é uma oportunidade para você, que é empreendedor da área de educação, cursos ou treinamentos. O momento em que vivemos é propício para que você crie um curso online - independentemente se vai continuar com aulas presenciais ou não. Veja as vantagens a seguir.

Vantagens e benefícios dos cursos online

Além da flexibilidade, os cursos online proporcionam várias vantagens para o aluno que se matricula. Algumas são:

  • comodidade de poder assistir as aulas onde quiser e no horário que for mais oportuno.
  • não há necessidade de deslocamento e não há perda de tempo no trânsito.
  • economia de dinheiro, pois a maioria dos cursos online são mais baratos que os presenciais.

E, como não poderia deixar de ser, os cursos online também proporcionam vantagens e benefícios aos criadores:

  • possibilidade de escalar o negócio e atingir o maior número possível de pessoas - de qualquer lugar do mundo.
  • possibilidade de compartilhar conhecimento a quem precisa.
  • renda extra e recorrente.
  • faturamento atemporal.

Como você vê, cursos online podem ser uma alternativa eficaz - principalmente em tempos de pandemia, onde as pessoas quase não podem sair de casa em função do isolamento. Então, se você acha que está na hora de investir nessa ideia, continue aqui. Bora colocar a mão na massa!

mulher com computador

Passo a passo para criar um curso online

Para ajudar você nessa missão, desenvolvemos um passo a passo básico. Você vai entender o que precisa e dar o pontapé inicial para dar aulas online. Vamos lá?

Escolha o formato ideal para o seu curso online

O primeiro passo é escolher qual o melhor formato digital para seu conteúdo online. Basicamente, há três alternativas:

Curso não-sincronizado 

É o formato onde o aluno assiste às aulas e faz as atividades em seu próprio ritmo, sem data e horário marcado. Geralmente o acesso é válido por um ou dois anos.

Curso sincronizado 

Neste formato, o curso tem “salas de aula virtuais” e o aprendizado é feito em tempo real, com uma turma de alunos assimilando o conteúdo simultaneamente.

Curso híbrido 

É uma junção dos dois formatos, sincronizado e não sincronizado.

Escolha seu nicho de mercado

Uma vez que escolher o formato de seu curso, é preciso pensar na escolha do nicho de mercado. Mas essa dica só é válida se você ainda não atua com o setor de cursos presenciais. Por exemplo, se você é professor de inglês e já dá aulas presencialmente, é claro que o curso online será neste nicho. 

Mas se você ainda não sabe em qual mercado poderá atuar, precisa então decidi-lo. Curso de confeitaria, de maquiagem para noivas e de decoração de festa infantil são exemplos de nichos.  

Você precisa analisar as possibilidades de oferta e procura, entender as tendências, avaliar a concorrência, identificando sobretudo as suas habilidades. 

Utilize ferramentas gratuitas, como o Google Trends, que mostra tendências de buscas relacionadas ao tema de seu interesse. Se o seu nicho é “decoração de festas infantis”, pesquise “decoração de festas”, “como decorar festas infantis”, “decorador de festas infantis” e assim por diante. 

No Google Trends, você poderá identificar o volume de buscas mensais das pessoas por esse tipo de informação. Quanto maior o número de buscas, maiores as chances de vender um curso de determinado nicho!

Defina o orçamento para a produção do curso online

Uma das razões pelas quais tantas pessoas desistem de transformar seus cursos em produtos digitais consiste no fato de que acham que não terão dinheiro para isso. Mas como você sabe, empreender pressupõe trabalhar com metas possíveis. Portanto, estabeleça um orçamento no qual se sente confortável para investir. A partir disso, comece sua pesquisa 

A primeira alternativa é criar o curso por conta própria, com o auxílio de recursos gratuitos ou mais baratos, como por exemplo: câmeras de vídeo, programas de edição, microfone e demais custos de produção. Coloque no papel todos os possíveis gastos que você terá, e então anote seu orçamento.

A segunda opção é pesquisar agências ou produtoras de vídeo que possam realizar o trabalho de gravação e edição do material, bem como divulgação e tudo que é necessário para lançar o produto no mercado.

Agora, avalie os custos envolvidos em ambas as alternativas e estipule o valor mais adequado para investir.

Estruture o curso online

Se há um momento tão importante quanto a venda do seu curso online, este momento é o planejamento. O planejamento é a estrutura do curso, o seu esqueleto, o alicerce de todo o resto. Por isso, dedique horas preciosas na estrutura de seu produto digital

O primeiro passo é estipular uma data de início e de término do curso. É você quem vai definir quanto tempo os alunos precisam para assimilar determinado conhecimento. 

Baseado nesta premissa, coloque no planejamento o número de aulas necessárias e, dependendo do tamanho do conteúdo, divida-as em módulos. O principal objetivo do planejamento é conduzir o índice do conteúdo o mais próximo do ideal. 

Mão na massa: crie o conteúdo

Agora o desafio é fazer com que todo o conteúdo seja colocado no papel com naturalidade, deixando-o conciso para as vídeo-aulas. Não é possível, por exemplo, ensinar alguém a falar inglês colocando vídeos  com entrevistas do Jimmy Fallon. O máximo que esses vídeos conseguem é melhorar a fluência verbal de quem já tem um conhecimento do idioma, correto?

Por essa razão, o conteúdo de seu curso deve ser didático, feito sob medida para o aluno que não está presente em uma sala de aula física e pode se dispersar facilmente.

Se você já dá aulas de maneira tradicional, basta passar o conteúdo dos cursos presenciais para o ambiente online. Não esqueça dos materiais extras: infográficos, e-books e planilhas também são importantes para seus alunos fixarem o conhecimento. 

Realize a gravação dos vídeos

Que imagem vem à sua mente quando você pensa em comunicadores como Silvio Santos, Galvão Bueno, Leda Nagle? Que tipo de contribuição eles trouxeram à comunicação brasileira? 

Esses e outros nomes serão lembrados pelo excelente jeito de animar, narrar ou apresentar informações ao espectador. Cada um deles tem uma identidade única - e você também tem a sua.

Na hora de gravar aulas em vídeo, descubra a sua identidade. Não tente ser outra pessoa: seja o professor ao qual seus alunos presenciais já estão acostumados. Não tente incorporar trejeitos e falas que não são de seu cotidiano.

E qual o melhor cenário para gravar os vídeos? Escolha um espaço elegante, que não permita muitas distrações tendo sempre em mente o seu público. É claro que as aulas de um curso sobre maquiagem podem ser gravadas em um espaço descontraído, como um camarim. Já um curso de mecânica básica deve ser gravado em uma oficina. Use o bom senso.

Mas lembre-se: para garantir um bom vídeo, o momento da gravação é fundamental. Não deixe para “consertar” erros de iluminação ou cenário feio na hora da edição. 

Preste também atenção à escolha dos equipamentos:

Câmera

Há vários modelos de câmeras que podem ser usadas para gravação de aulas em vídeo. Veja alguns modelos.

Canon EOS Rebel T5i - equipada com sistemas de sensores, modo especial para focar imagens em movimento e processador de alta performance.

Sony RX 100 V - ideal para gravações o modo selfie e possui uma boa captura de áudio. 

Logitech C920 HD Pro - conta com dois microfones integrados, assegurando um áudio livre de ruídos. É bastante utilizada para gravações de video-aulas. 

Canon EOS 70D - uma das mais utilizadas pelos youtubers, esta câmera permite gravação com foco automático e conta com 103 lentes compatíveis. 

Microfone

Na maioria das vezes, o microfone interno da câmera não é suficiente para gravar aulas em vídeo, principalmente se o local de gravação não tem isolamento acústico. Por esta razão, é importante ter um microfone externo de qualidade capaz de captar o som e eliminar ruídos do ambiente. 

Iluminação

Uma boa iluminação permite que o seu conteúdo seja melhor compreendido pela audiência. Afinal, você mesmo se interessaria por aulas em um ambiente escuro, onde mal pudesse distinguir as cores? Ninguém se interessa. Neste artigo, você poderá entender melhor a importância da boa iluminação do cenário para os vídeos. 

[eBook 100% Grátis] Saiba como criar uma marca que vai te destacar da concorrência. Baixe agora este super eBook:

Edição dos vídeos

Quando terminar de gravar o conteúdo, é hora da edição de vídeo. A edição pode ser algo simples, cortando as partes em que você cometeu algum erro ou trechos que ficaram longos demais. Em muitos casos, é preciso cortar apenas o início e o final do vídeo, pois sua explicação, como professor, fluiu bem

O que você pode fazer também é inserir trilha sonora de fundo. Mas se você não tem dinheiro para pagar direitos autorais de músicas conhecidas, utilize apenas as chamadas trilhas sonoras de domínio público, que são livres de qualquer restrição de uso e são gratuitas, embora você não encontre uma grande variedade delas.  

Uma alternativa é utilizar trilhas com licença Creative Commons. Por exemplo, você pode usar uma música determinada desde que dê os créditos da forma como o autor especificar. 

Para procurar trilhas gratuitas, vale também visitar o Free Music Archive, com muitas músicas legais e recomendações de curadores profissionais, sem pagar nada (basta observar as licenças).

#DicaConsolide

A trilha sonora é apenas um complemento do vídeo, então não abuse dela. O foco deve ser sempre o conteúdo das aulas. Uma dica é manter o volume da música sempre no mínimo, e quando você fizer uma mudança de tópico, aumentar a trilha por um ou dois segundos, marcando a ideia de passagem.

Escolha uma plataforma para colocar seu curso online 

A menos que você tenha um site próprio para hospedar o seu curso online, ele deve ser hospedado em alguma plataforma de EAD (Educação à Distância), para que o aluno possa acompanhar as aulas e ter acesso a todos os materiais disponíveis. Veja abaixo algumas plataformas para hospedagem de cursos.

Apollo

A plataforma Apollo foi criada para ajudar os produtores de conteúdo a promover seus cursos de forma organizada, programada e automatizada. A ferramenta permite gerar certificados automaticamente. Também é possível gerenciar comentários, fazer webinários e criar fóruns interativos entre os estudantes. 

Hotmart 

A plataforma Hotmart também é uma solução para hospedar um curso online. Com uma interface intuitiva e responsiva, a ferramenta permite que você customize sua página e ofereça possibilidade de pagamento via cartão de débito, crédito ou boleto. 

Moodle

A Moodle tem um sistema avançado para incentivar os criadores de cursos online a desenvolverem o conteúdo da melhor forma. É uma das plataformas EAD mais antigas do mercado,  100% responsiva e gratuita. 

Precifique o seu produto digital

Antes de transformar o limão em limonada, ou seja, antes de anunciar aos quatro ventos que você tem um novo curso online, é preciso dar a ele um preço. Afinal, a monetização do seu conteúdo é o objetivo final de todo o trabalho, certo? Depois de todo o investimento de tempo e dinheiro em seu produto digital, você precisa achar formas de vendê-lo por um determinado valor. 

Aceite seus limões: supere o fato de seu curso estar longe da perfeição. Poucas coisas são perfeitas na vida. Então, pergunte-se: quanto o meu produto vale? Como chegar no valor justo e ideal?

Faça a limonada: considere todos os custos de produção e divulgação, além de contabilizar as horas investidas na criação dos vídeos e do conteúdo. Mas saiba que o preço final vai além da margem de lucro que você quer obter. Pense no valor agregado, no conhecimento compartilhado a todos os alunos e também nos cursos similares que já existem no mercado.

O valor dos cursos concorrentes não pode ser o principal vetor para sua precificação, mas você pode fazer uma pesquisa por aí. Mas lembre-se: preço muito baixo não garante vendas, e preços exorbitantes podem afastar clientes.

Divulgue, divulgue, divulgue

O marketing parece estar na ordem do dia. Todos os anos, milhares de livros são publicados sobre o tema, artigos são escritos em blogs, empresas investem milhões de dólares nisso. Mas você sabe realmente por que o marketing é importante?

Simples: o marketing existe para gerar vendas. E é nisso que você deve se apoiar na hora de colocar seu curso online para jogo. Antes de tudo, é preciso listar todos os canais de divulgação possíveis para o seu produto digital. Talvez não seja necessário utilizar todos, mas sim aqueles que têm a ver com a audiência que você deseja atingir.

Veja então algumas formas de divulgar o seu curso online:

Blog +SEO

Cada vez mais as pessoas buscam na internet por conteúdos informativos e relevantes. Ao oferecer esses conteúdos de valor, você aumenta a visibilidade de seu produto, ou seja, do curso online. Por esse motivo o blog não deve ficar de fora das suas estratégias de divulgação.

Oferecer conteúdo de graça também ajuda a transmitir mais credibilidade, gerando mais confiança ao consumidor, que irá valorizar ainda mais seu produto. Além do blog, você pode também Investir em outras formas de conteúdo, como vídeos, e-mail marketing, e-books, infográficos, etc.

Mas não basta só produzir um conteúdo incrível: as pessoas precisam encontrá-lo. E como fazer isso? Através da otimização do site e do seu conteúdo. Search Engine Optimization (SEO) é um conjunto de técnicas que ajudam o Google a “entender” que seu conteúdo sobre determinado assunto é mais relevante do que os demais e que por isso deve aparecer primeiro na lista. É uma excelente forma de atrair novos visitantes para sua página e, quem sabe, vender mais cursos online.

Redes Sociais

As redes sociais atualmente atingem um grande público. Várias plataformas populares, como Instagram, Facebook e Twitter são essenciais para qualquer estratégia de divulgação, porque são as principais disseminadoras de conteúdo.

As redes sociais permitem que você crie um relacionamento com os consumidores que vai além do “compra e venda”. As lives (transmissões ao vivo) do Instagram, por exemplo, podem contribuir muito para aproximar os clientes do seu produto digital. 

Há ainda outros recursos que permitem que você divulgue ofertas e conteúdo de forma bastante segmentada, fazendo com que pessoas com real potencial de se tornarem clientes cheguem até você. 

Anúncios pagos

Os anúncios pagos nas redes sociais e no Google são uma estratégia rápida de aumentar a visibilidade de seu curso e gerar mais conversões. Quando o cliente faz uma pesquisa no Google, os primeiros itens que aparecem na página são os anúncios. Assim, investindo nisso você destaca o seu site ou página de vendas e conduz mais pessoas para conhecer o produto.  

Na verdade, unindo a estratégia de anúncios pagos ao posicionamento orgânico, você garante retorno positivo em curto, médio e longo prazo.

----

E aí, curtiu esse conteúdo? Conta pra gente abaixo, na sessão de comentários!

>> [eBook 100% Grátis] Saiba como criar uma marca que vai te destacar da concorrência. Baixe agora este super eBook! <<