Conhecido como manual de marca ou manual de identidade visual corporativa, é um documento geralmente desenvolvido após o processo de aprovação da marca. Contém as recomendações básicas, especificações técnicas e normas a serem seguidas para manter o padrão de aplicação nas peças gráficas e de divulgação de uma marca.

Ao escolher um nome e um logo que represente a sua marca, é importante destacar que contar com um guia que auxilie na aplicação correta da sua marca ajuda a padronizar as aplicações em fachadas, materiais gráficos, loja, entre outros.

Este guia é chamado de manual de identidade visual e, dependendo da necessidade de uma empresa ou profissional liberal, pode ter maior ou menor complexidade. Para entender exatamente o que o seu negócio precisa, é importante conhecer as diretrizes que este guia pode entregar e quais delas são essenciais para o seu negócio.

O que é manual de identidade visual?

Conhecido também como manual de marca e manual de identidade visual corporativa, é um guia, geralmente desenvolvido logo após o processo de criação e aprovação da logo, que contém as recomendações técnicas, especificações e normas principais para aplicação e utilização do mesmo.

O manual tem o objetivo de preservar os padrões da identidade de uma marca, orientando sobre a sua correta aplicação, divulgação e propagação. De forma geral, este guia traz diretrizes como:

  • Explicação sobre os conceitos por trás da criação da logo e das cores utilizadas;
  • Determina as variações de aplicação de um logo, bem como as dimensões mínimas permitidas para sua aplicação;
  • Especifica as cores principais e secundárias que integram a identidade visual da marca;
  • Apresenta modelos de aplicações que não podem ser utilizados;
  • Informações sobre Tom e Voz da Marca;
  • Aplicações em peças gráficas, como cartões, camisetas, veículos, entre outros.

Agora que você já sabe o que é, entenda a fundo a importância de um manual de marca.

Qual a importância de um manual de marca?

O manual de marca auxilia a manter a identidade visual da sua empresa de forma consistente, fazendo com que os clientes reconheçam facilmente o seu negócio. Essa homogeneidade na aplicação e divulgação é essencial para criar uma conexão com o seu público, fornecedores e colaboradores, bem como ser facilmente reconhecido em qualquer lugar da sua cidade, estado, país ou mesmo do mundo.

A verdade é que não importa o tamanho do seu negócio, uma empresa pode e deve ter um manual que guie designers, colaboradores e fornecedores na utilização correta da marca. Imagine a Fiat, Nike e Microsoft (elas não nasceram como gigantes). Lembrou os diversos canais que você já viu estas marcas se apresentarem? Então, imaginou como seria a aplicação das logos se não existisse esse guia? Uma verdadeira bagunça! Certamente elas não seriam reconhecidas em todo o mundo da mesma forma.

O melhor de contar com um manual de identidade visual corporativa é que você não precisa “falar” como a sua marca deve ser usada, porque todas as informações estão no documento. Isso torna fácil a criação de cartão de visitas, cartaz de divulgação ou mesmo a fachada da sua loja. Assim todos os fornecedores devem aplicar a sua marca da mesma forma.

Quando ter um manual?

A partir do momento que você tem uma marca, o ideal é que tenha também um manual de aplicação da mesma. Mas lembra lá no início que falamos sobre diferentes níveis de complexidade deste documento? Então, se o seu negócio é pequeno, é claro que não vai precisar de um manual com a mesma complexidade do utilizado pela Fiat.

Os manuais de menor complexidade geralmente são chamados de Guia de Marca. Por exemplo, se o seu negócio é pequeno, é perfeitamente possível ter um guia de marca com todas as orientações básicas de aplicação da logo e das cores do seu negócio, bem como a fonte padrão utilizada.

Então, caso a sua empresa não tenha um manual ainda, vale analisar se existe esta necessidade de fato. Para isso, avalie as perspectivas de crescimento do seu negócio, a possibilidade de contratação de mais colaboradores e fornecedores. Se você está crescendo rápido, o manual é interessante para nortear inclusive sua nova equipe de comunicação e os trabalhos com fornecedores de artes gráficas.

Outra oportunidade é modernização da marca ou mesmo a confecção de uma nova logo, desta forma, é importante avaliar no contrato com profissional que vai desenvolver a sua marca a possibilidade de entregar, ao final do trabalho, um manual de identidade visual.

O que um manual de marca tem?

livro manual de indentidade visual de marca

Um manual de identidade visual deve conter diferentes elementos e instruções. Conheça abaixo os itens mais tradicionais que aparecem neste documento. Vale destacar que de acordo com a complexidade do manual, alguns itens estarão ou não presentes no documento.

#1 - Introdução

#2 - Sumário

#3 - Tom de Voz da Marca

#4 - Visão geral do logo

#5 - Cores

#6 - Tipologia ou tipografia

#7 - Estilo Fotográfico

#8 - Estilo de vídeo ou animação

#9 - Aplicações

 

1. Introdução

Apresenta um breve resumo sobre o que o usuário irá encontrar no documento.

2. Sumário

De acordo com a complexidade de um manual de identidade corporativa, pode ser necessário a criação de um índice que facilite a pesquisa. Para se ter uma ideia, o manual da empresa Oi (veja mais abaixo o documento completo) possui mais de 100 página, já imaginou buscar alguma informação sem um índice!

3. Tom de Voz da Marca

Uma outra característica de uma marca, é a forma como ela se expressa, se comunica nos diferentes canais que utiliza, seja na rede social, site ou mesmo em flyers e folders. É a forma como conversa com o seu consumidor final. É por meio do tom de voz da marca que uma empresa comunica sua identidade, valores e o posicionamento de mercado.

4. Visão geral do logo

Neste item, o documento apresenta o conceito e a lógica utilizada para a construção do logotipo. Ainda mostra as especificações para aplicação, detalhando as variações de utilização e redução do logo, as cores utilizadas na marca, a área de proteção, a utilização sobre fundos, proibições de uso, entre outros aspectos. Mais abaixo apresentamos alguns exemplos de manuais de marca de algumas empresas.

5. Cores

Apresenta a paleta de cores principais que devem ser utilizadas e que representam a identidade visual da marca e suas especificações nos diferentes sistemas de cores (RGB, CMYK ou Pantone). Alguns manuais ainda apresentam cores secundárias para apoiar as comunicações, mas ainda mantendo o padrão visual da marca.

6. Tipologia ou tipografia

Neste item são especificadas a fonte padrão da marca, e que deve estar presente em todos os materiais, seja em flyers, folders, site, documentos oficiais, etc. Além da tipografia principal, alguns manuais apresentam inclusive uma fonte secundária, isso funciona para situações em que a fonte principal não pode ser utilizada por alguma razão.

7. Estilo Fotográfico

Manuais de identidade visual mais completos, apresentam inclusive o estilo fotográfico que a marca deve seguir em sua comunicação. Por exemplo, se uma empresa for publicar uma fotografia produzida ou utilizar uma imagem de banco de imagens, a mesma deve seguir as especificações que constam no manual.

8. Estilo de vídeo ou animação

Assim como as fotografias devem seguir um padrão, o mesmo acontece com as imagens animadas (vídeos, gifs, etc.), que devem obedecer as diretrizes que constam no documento. Assim como no item anterior, estas especificações aparecem mais tradicionalmente em documento de identidade de grandes empresas.

9. Aplicações

Alguns manuais de marca ainda trazem como referência exemplos de aplicações, como por exemplo em cartões de visita, veículos, papel timbrado da empresa, pasta de papel, camiseta, brindes, envelope, entre outros. Estas aplicações podem ser combinadas previamente com o profissional que está criando a marca e o manual para o negócio, no sentido de criar o padrão de aplicação das peças que fazem mais sentido à empresa.

Exemplos práticos

Para entender o que é um manual de marca, acreditamos que o ideal é trazer alguns exemplos para que você possa visualizar, desde o mais simples ao mais complexo. Vale destacar que não quer dizer que o seu manual tem que ser igual a algum dos exemplos abaixo, o que vai definir o que o negócio precisa é você junto com o especialista. Afinal, o nível de complexidade do documento vai influenciar diretamente no valor final da negociação.

Manual de Marca da Eletrobras:

Manual de Marca da Oi

 

Erros que devem ser evitados

Uma vez que o manual é de grande relevância para manter a padronização da identidade de uma marca, vale destacar que existem alguns erros que precisam ser evitados, minimizando problemas que possam surgir em decorrência destes problemas. Então, se liga na listinha abaixo:

1. Deixar elementos de fora ou perdidos em pastas

A dica para que isto não ocorra é sempre que houver alguma dúvida sobre a inclusão ou não de item, a recomendação é incluir. Além disso, itens que forem criados ao longo do tempo podem e devem ser incluídos também no documento.

2. Não ser claro nas especificações

Todas as informações devem ser claras e objetivas, minimizando assim os riscos de ser interpretado ou utilizado de forma errada.

3. Deixar de atualizar o documento

Lembre-se que o manual é o guia da identidade do seu negócio. Atualize-o constantemente. Assim você evita utilizar peças que não existem mais, bem como centraliza em um só lugar todas as informações.

Sua marca é o seu negócio. Registre.

Não é incomum os empresários acreditarem que por ter CNPJ estão 100% protegidos. A verdade é que não é bem assim. O CNPJ é a regularização e abertura da empresa, mas não protege a marca. Uma marca sem a devida proteção pode ser copiada e/ou utilizada, sem ônus, por terceiros.

Para evitar isso, o ideal é fazer o pedido de registro de marca no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). Vale destacar que antes de realizar o pedido é essencial verificar se não existe uma outra marca igual ou semelhante com o pedido em andamento ou que já possua o registro. Caso haja, existe uma alta possibilidade do seu pedido ser indeferido e ter que mudar de marca.

Depoimento Zu Rabelo marca Realeza

Evite a perda da sua identidade, da sua marca. Registre o seu negócio. No Brasil a maior parte dos empreendedores não o fazem, ou por descuido ou por falta de conhecimento, e correm um risco enorme de ver todo o investimento realizado ir por “ralo abaixo” e ter que recomeçar com uma nova marca.

----

Como geralmente o manual é desenvolvido logo após a logo, uma sugestão é no momento da contratação do serviço, avaliar se o profissional em questão entrega, além do logotipo, um guia ou manual de identidade visual. Claro, isso se você considerar relevante para o seu negócio.

Você conhece alguém que também pode se interessar por esse conteúdo? Compartilhe através das suas redes sociais.