As taxas governamentais para o registro de marca podem variar de R$440,00 à R$1.100,00 de acordo com o porte da empresa. Porém, os valores podem variar significativamente de acordo com a necessidade de indexação de novos documentos, cumprimento de exigências, manifestação, oposição, etc.

Requerer o registro de uma marca é o primeiro passo para ter o direito de utilizar o nome e o logo do seu negócio com exclusividade no seu segmento. Ainda ajuda a proteger a sua cartela de clientes e a aumentar a confiabilidade do seu negócio.

Apesar de toda a importância do registro de marca, são poucos os empresários que solicitam a propriedade no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) - órgão responsável por conceder o registro no Brasil. Este dado pode ser confirmado ao analisar os números de empresas abertas a cada ano. 

Do total de novos negócios, apenas 8,18% dos empresários conhecem a importância de registrar a marca. Esse descuido geralmente acontece por falta de conhecimento ou por acreditarem que é necessário um investimento muito grande para isso.

E é aí que mora a surpresa, o registro de marca está muito mais acessível. Fique atento a este post para ver como cabe no bolso do grande, do médio, do pequeno e até do microempreendedor individual.

Benefícios do Registro de Marca

A marca de um negócio é sua identidade, é a forma como os clientes, fornecedores e parceiros o reconhecem e também é a maneira como se diferencia dos concorrentes. Garantir que essa identidade seja utilizada com exclusividade pelo seu negócio, além de manter o seu público fiel e de proteger você de concorrentes de má fé, traz outros benefícios.

Aquele “érrezinho” ® que vai ao lado da sua marca, é responsável por aumentar a confiança dos clientes nela, evita que seja copiada e ainda pode trazer vantagens financeiras e de expansão para o seu negócio. Entenda a fundo cada uma dessas vantagens no vídeo abaixo. São só 3 minutos:

Quem pode registrar uma marca?

Uma marca não precisa estar vinculada a uma empresa, especificamente. Isso porque de acordo com a legislação, qualquer pessoa física ou jurídica pode registrar uma marca.

Porém, para que uma pessoa física tenha o direito de requerer o registro de uma marca, precisa comprovar a atividade que exerce, por meio de documentos com validade legal e expedidos pelo órgão responsável.

Agora se o registro for feito em nome da empresa (pessoa jurídica), recomenda-se fazer quando o negócio é realizado em sociedade com outras pessoas, pois caso a marca seja registrada no nome de apenas um dos sócios (CPF), apenas o titular é efetivamente o dono. Caso resolva deixar o empreendimento, pode levar consigo a marca ou cobrar um valor para utilização da mesma.

Atente-se a isso antes de fazer o registro. Afinal, pode poupar muita dor de cabeça com o avançar da sociedade.

Quanto custa registrar uma marca?

O registro de uma marca pode ser feito com o apoio de uma empresa especializada ou pelo próprio dono do negócio e cada uma delas, é claro, vai demandar mais ou menos tempo do empreendedor, bem como maior ou menor investimento. Além disso, o valor final a ser investido depende também do perfil do negócio.

Taxas Governamentais

Os valores das taxas que incidem sobre o processo são tabeladas pelo INPI. Para dar entrada na solicitação de pedido de registro de marca o governo concede a MEI (Microempreendedor individual), ME (Microempreendedor) e EPP (Empresa de Pequeno Porte) um desconto de 60% sobre as taxas, ficando o pagamento da guia em R$142,00. Já para as empresas que não aderem ao Simples Nacional como LDTA e S.A. o investimento é de R$355,00.

Além da da taxa de entrada no processo, quando o INPI defere o registro, o titular ainda necessita pagar uma taxa de R$ 298,00 (MEI, ME, EPP) ou R$745,00 no caso de empresas que não são beneficiadas com o desconto concedido pelo governo. O não pagamento de qualquer uma destas taxas no tempo adequado implica no arquivamento do processo e, automaticamente, na não concessão da titularidade da marca.

Sozinho

O próprio empreendedor pode entrar no site do INPI e dar entrada no pedido do registro da própria marca. Apesar de ser neste primeiro momento o caminho que requer “menor investimento”, pode ser também aquele tradicional “barato que sai caro”!

Afinal, esta decisão não pode ser meramente pensada em valores monetários. É necessário avaliar o tempo que será investido no estudo e aprendizado, bem como no tempo dispensado para acompanhamento frequente do próprio processo.

Juntar os documentos, cadastrar o usuário, realizar pesquisa no site do INPI verificando se não existe marca igual a sua, identificar em qual classe sua marca deve ser registrada, preencher os formulários, pagar as taxas é só uma amostra do que precisa ser feito para dar entrada no processo. Veja o processo completo abaixo:

Parece fácil né, mas a falta de conhecimento pode levar o empreendedor a cadastrar a marca numa classe errada, registrando-a para outra atividade que não esteja alinhada com o negócio. Neste caso, a marca continua desprotegida, necessitando entrar com um novo pedido para efetivamente protegê-la. Outra situação bastante comum é a necessidade no decorrer do processo, de anexar outros documentos solicitados pelo INPI.

Agora faça um cálculo rápido. Quanto custa a sua hora para o seu negócio? O quanto a sua dedicação é essencial para fazer a sua empresa crescer? Se ao analisar estes valores você identificar que a sua hora, trabalho e dedicação valem menos ou igual a R$ 250,00 por mês (isso equivale a R$10,00 por dia produtivo), vale a pena fazer sozinho.

Agora se você como dono e funcionário custa mais de R$10,00 por dia para a sua empresa, deveria avaliar com muita atenção e carinho se vale mesmo a pena. Para entender a relevância deste cálculo, é necessário entender que hoje existem empresas especializadas no registro de marca que cuidam do seu processo do início ao fim a um custo bastante acessível e fixo, sem surpresas.

Empresa especializada

Existem no mercado uma infinidade de empresas e profissionais que oferecem o serviço de registro de marca. E é exatamente na contratação de um terceiro que o empreendedor muitas vezes ganha um susto enorme, isso porque o valor dos honorários praticados no mercado variam consideravelmente entre os especialistas.

Por isso, é importante ter em mente que vale sim pesquisar as opções disponíveis no mercado e, antes de contratar, é essencial analisar detalhadamente o escopo do serviço oferecido, bem como os valores do início ao fim do processo.

Então, solicite sim mais de um orçamento, compare o escopo dos trabalhos, questione, tire as dúvidas. Antes de fechar com uma empresa, dá uma olhadinha nas dicas de “como escolher uma empresa especializada em registro de marca” que preparamos.

Cuidado: não analise apenas o valor! Quando você analisa apenas o valor, pode cair em alguma “pegadinha”, porque algumas empresas, você vai ver em sua pesquisa, praticam valores super baixos por incluírem apenas os custos de uma parte do processo e ao longo dele você pode ter surpresas com novas taxas e valores cobrados.

Aqui a dica de ouro é: busque o melhor custo-benefício. Existem empresas hoje que conseguem oferecer valores super acessíveis porque têm operação 100% online, reduzindo os custos do trabalho. Por outro lado, você como contratante também ganha, pois pode fazer todo o processo de qualquer lugar, basta ter um celular a mão e conexão com a internet.

Um bom parceiro ainda fornece um escopo completo de trabalho, do início ao fim do processo, com todas as taxas inclusas e disponibiliza ferramentas que possibilitam acompanhar a qualquer momento e em tempo real o status do processo. A transparência deve ser rainha em um processo de registro de marca. Agora que você já sabe disso tudo, dá uma olhadinha nos valores da renovação do registro de marca, aquele que tem que ser feito após vencer o prazo de 10 anos de uso da marca com exclusividade.

REGISTRE SUA MARCA EM 6 ETAPAS

Investimento na renovação de marca

Uma marca é válida por 10 anos, sendo que ao fim deste período, para manter a titularidade e o direito à exclusividade, é necessário renovar a propriedade. A renovação deve ser realizada a cada 10 anos e requer um investimento de R$ 426,00 para aqueles que se encaixam no desconto governamental e de R$ 1.065,00 para as empresas que não tem direito ao desconto.

A sua marca vale mais ou menos do que um cafezinho por dia?

 

Calcular o valor de uma marca é algo bastante complexo, certo? Mas você pode calcular o quanto a sua marca vale para você e para o seu negócio com um cálculo simples. Para isso, é importante ter em mente que ao registrar a sua marca, você passa a ter direito de exclusividade sobre a mesma por no mínimo 10 anos, protegendo seu negócio contra a cópia por terceiro.

Agora eu vou te propor um exercício bem diferente. Faça o seguinte cálculo:

Ao realizar este cálculo, você vai ver o quanto custa para proteger a sua marca por dia, durante 10 anos. Tenho certeza que com esse valor em mãos, você consegue saber se a sua marca vale mais do que um cafezinho por dia.

E você, acredita que ter a propriedade da sua marca vale mais do que um café ou não?

Pense na sua marca como um bem, porque é o que ela é. Assim como um carro ou um terreno que tem uma escritura e protege o que é seu perante à justiça, assim também é com a marca. Ao ter o registro, você ganha o certificado de propriedade que dá direito ao uso com exclusividade em todo o território nacional. Ainda aumenta a credibilidade da sua marca sem precisar abrir mão do cafezinho.

Antes de encerrar, quero te dizer uma coisa. Agora que você já sabe quanto custa registrar uma marca, independente da forma que você escolher para garantir o seu bem (sua marca), registre. Não espere ganhar um susto para cuidar do que é seu. Existem muitos riscos que rondam uma marca sem registro, um deles é um processo judicial por plágio.

Você conhece alguém que também pode se interessar por esse conteúdo? Compartilhe através das suas redes sociais.