Você chega a um restaurante e pede um refrigerante de cola, sem saber qual o fabricante. O garçom traz uma lata vermelha, mas você não sabe de que marca se trata. Difícil imaginar esta cena? Se a Coca-cola não tivesse sua marca estampada na embalagem, a vida seria assim.

80% das empresas que investem na criação de marca são líderes de mercado e possuem maior fidelização de clientes, se comparadas àquelas que não investem.

Em outras palavras: a marca é tão importante quanto o produto. Howard Schultz, CEO da Starbucks, uma das companhias mais valiosas do mundo, já disse que “uma marca tem que parecer um amigo”, ou seja, você precisa reconhecê-la para gostar dela.

É o que acontece com a Coca-cola, a Starbucks e tantas outras marcas que se tornaram familiares para nós. Mas você sabe como criar uma marca que seja reconhecida facilmente pelas pessoas?

Além da escolha do nome e cores que melhor se adequam ao seu segmento de mercado, é importante também conhecer o público-alvo, avaliar os concorrentes... Ufa! Não é uma tarefa simples, mas vamos explicar como criar uma marca do zero. Continue aqui. 

O que é uma marca?

Marca é uma representação simbólica, um sinal, em emblema, uma identidade. Na definição do INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), uma “marca é todo sinal distintivo, visualmente perceptível, que identifica e distingue produtos e serviços”. 

De uma forma mais divertida, podemos usar a frase de Jeff Bezos, o fundador da gigante Amazon, para definir o que é uma marca: “é o que as outras pessoas dizem de você quando não está na sala”. Interessante, né? Agora vamos para mais alguns conceitos importantes.

Qual a diferença entre marca e logotipo?

A palavra logotipo vem do grego e significa conceito, significado. Logotipo é a representação gráfica do nome fantasia da empresa, e pode combinar o símbolo e a tipografia (fonte). Ele representa a imagem de uma marca. a marca é o conjunto de vários elementos, dentre eles o logotipo.

Veja o quadro abaixo:

tabela com a diferença entre logotipo e marca

Como criar uma marca do zero

Oscar Wilde escreveu que “somente as pessoas superficiais não julgam pela aparência”. Tudo bem, Oscar, você tinha um talento brilhante para usar as palavras, mas esta frase definitivamente não se aplica às pessoas. O que podemos dizer é que, no século XXI, essa observação se aplica, definitivamente, às marcas.

Para criar uma marca, é preciso pensar na aparência dela. E por isso desenvolvemos estes 5 passos importantes para criação de marca. Acompanhe. 

call to action para a página de conversão de ebook como criar uma super marca do zero

#1 Identifique seu público-alvo

Uma das perguntas mais importantes que você deve ter em mente quando criar uma marca: qual o público que vai comprar seus produtos e serviços?

O público-alvo é o segmento da população a quem sua marca vai direcionar suas vendas de produtos ou serviços. Para oferecer o melhor ao seu público, é importante que você conheça seus hábitos de consumo, tenha acesso aos dados demográficos, as preferências e o comportamento. Você pode fazer isso através de:

  • Entrevistas
  • Pesquisas
  • Dados de vendas
  • Sites de concorrentes

 Para entender verdadeiramente quem são as pessoas que vão comprar seus produtos ou serviços, pergunte: 

  • Qual é a faixa etária, sexo e ocupação do público? 
  • Que problemas ou dores o consumidor enfrenta?
  • O que motiva o público a procurar uma solução?
  • O que é muito importante para melhorar a experiência do consumidor?

Supondo que seu produto seja um tênis, imagine agora duas pessoas do sexo masculino: ambos gostam de praticar esporte, correr no parque e viajar. Trata-se do mesmo perfil? Em um primeiro momento, sim.

E se eu disser que o primeiro deles é um pai de família, dono de uma empresa de tecnologia, que adora carros esportivos e ostenta roupas de grife no trabalho, e o outro é vendedor ambulante que adora praticar corrida de rua e tem o objetivo de ser um dia um lutador profissional de MMA? Trata-se ainda do mesmo perfil de consumidor?

Essa avaliação é que precisa ser feita quando falamos em definição do público-alvo. Seus consumidores serão um grupo específico de pessoas, com motivações bem particulares. Nem sempre dá para vender o mesmo tipo de tênis para perfis com características diferentes

Por isso, fazer a pesquisa de público-alvo, para determinar o comportamento de compra, os hábitos e a condição socioeconômica é muito importante para a criação de marca. Colete o maior número de informações possível sobre o seu consumidor.

#2 Descubra o seu diferencial em relação à concorrência

Pergunte-se: qual o diferencial que destaca sua marca dos concorrentes? Cuidado, pois o preço baixo não é um critério real de diferenciação, por exemplo. É preciso oferecer algo único para a solução de um problema do público.

Naquele exemplo do tênis, imagine que a marca resolveu focar em um público específico - aquelas pessoas que adoram correr na rua e não descartam o estilo esportivo no trabalho. O tênis terá um design moderno, que pode ser usado tanto com as roupas esportivas para a corrida quanto com uma vestimenta mais casual, como uma calça jeans, por exemplo. Isso é um diferencial.

Entendeu agora por que é importante conhecer os seus concorrentes, para se destacar? A concorrência alimenta o mundo dos negócios. Nem sempre é possível vencer os concorrentes, mas manter sua posição com autenticidade e diferenciação fará com que sua marca se destaque no mercado. 

computador e teclado com cartela de cores e outras ferramentas

Agora que você já descobriu o diferencial de seu produto ou serviço, é hora de partir para uma das etapas mais importantes na criação da marca: a escolha do nome. 

#3 Crie um nome marcante

Escolher o nome que será a cara de seu negócio é muito importante. Um nome curto e fácil de ser memorizado facilita a absorção pela mente do consumidor. Marcas famosas como Apple, Uber, Instagram e Renner têm nomes simples, curtos e com sonoridade, não é mesmo?

Agora veja o exemplo da marca de sorvetes Häagen-Dazs, um nome difícil tanto para falar quanto para escrever. Qual das marcas citadas são mais fáceis de se lembrar?

Coloque-se no lugar de seu consumidor. Por exemplo, se você escolher um nome em outro idioma, verifique se a pronúncia e a escrita são fáceis e se a palavra é relativamente conhecida pelos brasileiros. Veja abaixo algumas marcas que começam com letras populares do alfabeto.

Marcas com A:

  • Acer
  • Adidas
  • Animale
  • Armani
  • Avon

 

Marcas com O:

  • Orient
  • Oral B
  • O boticário
  • Omo
  • Ovomaltine

 

Marcas com E:

  • Eno
  • Ebay
  • Ellus
  • Embratel
  • Elma Chips

Dica de ouro: crie um nome único, original, que você nunca tenha visto em outro lugar (e mesmo que você tenha visto em outro país, jamais crie um nome muito semelhante a uma marca que já existe). Afinal, você precisa considerar a expansão de seu negócio. 

Se você estiver muito indeciso quanto à escolha de um nome que represente sua marca, faça uma sessão de brainstorming (tempestade de ideias): reúna algumas pessoas de sua confiança para pensar em nomes para o seu negócio. 

A ideia é deixá-las confortáveis o bastante para que sugiram ideias legais de nomes para sua marca. Distribua cinco adesivos Post it e caneta para cada um dos participantes. O grupo deve escrever uma sugestão de nome em cada um dos adesivos e colar em um quadro de brainstorming. Depois que todos escreverem as ideias de nomes, vá selecionando aqueles que você mais gosta, até chegar ao que você considera mais apropriado e interessante.

Veja mais: 

Como escolher um nome para sua escola de idiomas

Como escolher um nome para sua marca de roupas

Pesquise se o nome escolhido não é uma marca registrada

Nome escolhido, e agora? Para criar uma marca, você precisa saber de fato se o nome que você criou já não existe por aí. Mas para saber se uma marca já existe legalmente, não basta procurar o nome no Google. 

No Brasil o órgão que regula o registro de marcas e patentes é o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual), que disponibiliza para consulta pública os registros de marcas que já existem e também aqueles que estão em andamento.

Veja aqui como fazer uma pesquisa de marcas registradas. 

Depois de realizar a pesquisa de marcas no INPI, você também precisa conferir se o nome já existe no site da Junta Comercial do seu Estado, o órgão responsável pelo registro de atividades ligadas a sociedades empresariais.

E se os nomes pesquisados no site do INPI já foram registrados, você não terá outra escolha senão pensar em um novo nome para sua marca, porque legalmente você não é autorizado a usar o nome de uma marca que já foi registrada. De acordo com a Lei da Propriedade Industrial (Lei 9.279/96), a prioridade da marca é de quem solicitou o registro primeiro no INPI.

Aqui está o processo completo para escolha de um nome marcante: 

infográfico com vários tópicos para escolher o nome de uma marca

Feito isso, partimos para o próximo passo, e não menos importante, na criação da marca: o logotipo. Continue aqui.

#4 Crie um logotipo de destaque

Qualquer marca de destaque no mercado, por menor que seja, tem um logotipo. Aliás, tanto logotipo quanto logomarca são termos bastante usados para definir a representação visual de uma marca. Mas existe diferença entre estes conceitos? Na verdade, não. 

Alguns profissionais do design afirmam que a palavra “logomarca” não tem sentido, já que o termo “logo” vem do grego e é definido como “palavra” e “significado”, e o termo “marca” é germânico e também é definido como “significado”. Ou seja, logomarca seria o “significado do significado”, e por esse motivo é considerado redundante.

Então, no mercado publicitário, o termo comumente aceito no Brasil é logotipo, e não logomarca. 

Por que é importante ter um logotipo

O logotipo é a representação visual de sua marca e é ele que faz com que os consumidores lembrem do seu negócio. Pense em uma garrafa de Coca-cola gelada: o logotipo na embalagem do produto é capaz de ajudar o consumidor a associar o gosto, o sentimento e a experiência à marca.  Além disso, o logotipo é um elemento que diferencia você dos seus concorrentes.

Veja como marcas de carro podem ser facilmente reconhecidas pelos seus logotipos:

algumas logomarcas de marcas famosas de carros

Agora que você entendeu o porquê de criar um logotipo para sua marca, vamos aos principais pontos que você deve estar atento. São eles: criação do símbolo, escolha das cores, escolha da fonte (tipografia). Por fim, conheça sites de criação de logotipo grátis.

Criação do símbolo 

Um símbolo é um elemento central de marca que pode conferir uma personalidade única para seu negócio. Quando pensamos na Apple, por exemplo, logo vem à nossa cabeça uma maçã mordida, que é o símbolo da marca

Mesmo que a maçã nada tenha a ver com o segmento da empresa Apple, o símbolo se tornou mundialmente conhecido. Mas a maior parte das marcas prefere escolher símbolos que reflitam o que elas produzem. A escolha do símbolo para seu logotipo é super importante, e deve informar minimamente aos seus clientes a especialidade da sua marca.

Uma maneira interessante de se posicionar no mercado é criar o logotipo usando símbolo + nome, pois pode funcionar das duas formas. Ao ver o ícone de uma concha amarela, você não precisa ler o nome “Shell” para identificar que se trata da marca de postos de combustível. Esse é um exemplo em que o símbolo ganhou tanta visibilidade que a empresa pode remover o nome da marca de seu logo, e ainda assim os consumidores a identificam. 

Por esta razão, a criação do símbolo é importante. Representações gráficas também são fáceis de ficar na memória do público. Veja alguns símbolos de marcas famosas pelo mundo:

símbolo da Pepsi do McDonald's do Facebook e da Shell

 

Escolha das cores

Verde + amarelo: você pensa em alguma coisa quando vê a combinação dessas duas cores? Se você respondeu Brasil ou Bandeira do Brasil, você acertou em cheio, porque a combinação desses tons remete a algo significativo e até com valor emocional para nós, brasileiros. 

Tal como o verde e amarelo, uma determinada cor ou a combinação de algumas cores pode nos remeter imediatamente a algo familiar. Quando falamos em uma lata de Coca-cola, que cor vêm à sua cabeça? Vermelho, certo? Sua embalagem tem cores quase impossíveis de serem esquecidas, pois há uma coisa importante atuando por trás: a psicologia das cores.

De acordo com pesquisas, cerca de 80% das pessoas são capazes de identificar uma marca pelas cores. Elas são os primeiros elementos que o cérebro processa ao reconhecer uma imagem. 

Quando falamos em Coca-cola e McDonald’s, percebemos que ambos utilizam a cor vermelha em suas marcas, que é a cor que tem o objetivo de criar um senso de urgência, um senso de “ter que” consumir o mais rapidamente possível. 

Por outro lado, empresas de tecnologia se utilizam da cor azul, que transmite o efeito contrário: inibe o apetite e estimula a produtividade. Basta pensar no Facebook, no Twitter e na Consolide, por exemplo. 

As cores desempenham um papel fundamental na criação de marca, por isso é bem importante escolher as mais adequadas para o seu negócio. Confira os significados por trás de cada uma das cores e lembre-se que a escolha pode ter um impacto – positivo ou negativo – na percepção da sua marca pelo público.

Infográfico com o significado de várias cores

Mas fique atento, pois seu gosto pessoal nem sempre é a melhor opção. Conheça os erros mais comuns na hora de escolher as melhores cores para seu negócio

Como combinar as cores

A combinação de cores que façam sentido entre si, como o amarelo e o vermelho das redes de fast food, não é uma tarefa simples. Mas com o círculo cromático, uma ferramenta de design onde você pode visualizar as cores complementares, as cores análogas e as cores triádicas, fica mais fácil estabelecer as combinações harmônicas possíveis. 

Depois de escolher as cores e suas combinações possíveis, vamos para a escolha da tipografia, ou seja, a fonte das letras que vão compôr o nome de sua marca no logotipo.

Escolha da fonte (tipografia) 

A fonte é parte integrante de todo logotipo e tem fundamental importância no processo de criação de uma marca, pois a escolha de uma tipografia errada pode até evocar sensações desagradáveis. Há dois tipos de fonte:

Com serifa: a serifa é um prolongamento nos cantos da letra. Faz com que seu logotipo pareça clássico e sofisticado, mas também pode passar uma imagem antiquada. 

Sem serifa: fonte que tem uma aparência simples e limpa. As letras não têm os pezinhos das fontes com serifa, e funcionam bem para marcas modernas.

Letras A maiúsculas

Na hora de escolher a fonte mais adequada para sua marca, lembre-se de que ela precisa ficar atraente e legível em qualquer superfície, seja em um outdoor, em um anúncio de revista ou em um brinde como uma caneta, por exemplo. 

#Dica Consolide

Não use fontes que estão na moda. As tendências são de curta duração, então se você quiser que seu negócio perdure por muitos anos, utilize uma fonte que reflita as características do seu negócio. E lembre-se: seu logotipo também deve acompanhar as mudanças de sua marca ao longo do tempo.

Mas o processo de criação do logotipo vai além da escolha da fonte e das cores. É preciso conhecer os softwares (programas de computador) capazes de criar um logo. É o que você vai ver a seguir.

 Conheça os programas de criação de logotipo grátis

Os softwares mais indicados para a criação de eu logotipo não são gratuitos, são programas pagos que contém muitas funcionalidades e são usados por profissionais de criação e design. Mas existem na internet alguns aplicativos e sites gratuitos que podem te ajudar a desenvolver um logotipo sem ajuda de profissionais. Veja alguns deles:

Design Mantic: aplicativo que não precisa ser instalado, pode ser utilizado online. É possível criar o logotipo e outros materiais gráficos de forma gratuita. Porém, para baixar as peças criadas, é preciso pagar uma taxa. 

Criar Logotipo: a ferramenta disponibiliza mais de 5000 modelos de logotipos, para que o usuário escolha o modelo, as cores e a fonte. 

Logo Maker: aplicativo gratuito, pode ser utilizado online para criação de logotipo e outros materiais promocionais. Para baixar a criação, paga-se uma pequena taxa. 

Canva: um dos aplicativos mais conhecidos. É gratuito e pode ser usado para criar logo e também imagens para materiais gráfico e redes sociais. 

Veja neste artigo mais opções de plataformas para criar logomarca online grátis.

A pergunta que não quer calar: usar um programa para criação de logotipo ou contratar um  especialista?

Se você está com pouca grana para investimentos no início do empreendedorismo, é perfeitamente aceitável que você direcione esforços em outras despesas para criar a marca, como a instalação do ponto de venda ou compra de mercadoria, por exemplo. Por isso o uso de ferramentas e aplicativos online facilita o orçamento.

Mas se você deseja algo mais profissional, com a escolha minuciosa das cores adequadas e das fontes que mais combinam com a personalidade de sua marca, nada mais justo do que contratar um profissional, um designer que crie o seu logotipo e a sua identidade visual. 

Quanto custa criar um logotipo?

Se você optar pelo famoso “Do it yourself” (“Faça você mesmo”), pesquise muito, crie um quadro de inspirações e dê uma olhada nas principais tendências de logos que você precisa conhecer.

Mas se você chegar a conclusão de que é mesmo necessário contratar um profissional para criação do seu logotipo, veja os passos para criar um briefing para o designer. 

Identidade visual de uma marca 

Você criou o logotipo e agora não precisa criar mais nada, correto? Errado! O logotipo é apenas um dos elementos de uma marca. É a identidade visual de uma empresa que combina vários elementos. Em outras palavras, é a imagem de sua marca. Uma identidade visual pode agregar:

  • papel timbrado
  • envelopes
  • cartão de visitas
  • pasta
  • uniformes/aventais
  • fachada (para negócios/lojas físicas)
  • layout de site
  • layout de e-mail
  • capas para redes sociais
  • embalagens/rótulos de produtos
  • brindes
  • posts em redes sociais
  • anúncios em revistas, jornais e internet
  • e outros

 

Manual de identidade visual

Para colocar em ordem todos os elementos de uma marca, existe o manual de identidade visual. Ele é um guia, geralmente desenvolvido após o processo de criação do logotipo. Neste manual, estão as recomendações técnicas, as especificações e normas principais para aplicação do logotipo, das cores, etc.

O manual de identidade visual preserva os padrões de identidade da marca, e orienta sobre os conceitos por trás da criação do logo, determina as variações de aplicação do logotipo (em superfícies preto e branca, por exemplo), define as cores primárias e secundárias que integram a identidade da marca e exemplifica o que não pode ser usado. 

Além disso, o manual traz formas de aplicação do logotipo em peças gráficas, como cartões de visita, camisetas, brindes, e outros. E atenção: profissionais liberais também precisam ter uma marca!

Você pensa que acabou? Nã, nã, ni, nã, nã. Para uma marca ficar completa, tem ainda uma etapa importante: a criação do slogan, o grito de guerra de sua marca.

#5 Crie um slogan inesquecível

Um slogan não serve apenas para grandes marcas, hein!? Sua marca, mesmo que seja pequena, também pode ter um. Afinal, o slogan existe para ficar na memória de seu público-alvo. Quer um exemplo memorável de slogan? Tomou Doril, a dor sumiu. Impossível esquecer de uma frase como essa, né? Então, agora você entendeu a função do slogan para uma marca.

imagem com logomarcas famosas e um quiz de slogans

Um slogan é uma frase curta que promove a rápida identificação e memória da marca por parte do público. A intenção é fazer com que ele seja memorizado rapidamente, e é mais fácil decorar frases curtas, certo? Crie então um slogan com poucas palavras, afinal você tem pouco segundos para impressionar.

Além disso, um slogan deve ser atemporal, ou seja, não ter gírias ou frases que não serão compreendidas em outra época. Também não prometa no slogan aquilo que a sua marca não possa cumprir. Se o seu slogan fala de algo que sua empresa ou produto não são, você pode colocar em risco a reputação do negócio. Aposte na sinceridade e supere as expectativas do público.

Minha marca está pronta, e agora? 

Depois que sua marca estiver pronta, o próximo passo é protegê-la para garantir o uso exclusivo em seu segmento de atuação. Essa proteção contra cópias é muito importante, já que você investiu tempo, dinheiro e esforço na criação de sua marca. Imagine perdê-la porque alguém mal intencionado resolveu copiar o seu logotipo ou o nome de seu negócio?

Portanto, é preciso fazer o Registro de sua Marca. E se você quiser saber como funciona  este processo, acompanhe  este super conteúdo que preparamos para você:

+ Guia Completo do Registro de Marca

---

E então, esse conteúdo foi útil? Compartilhe com seu amigo que vai empreender e deseja criar uma marca!

>> [eBook 100% Grátis] Saiba como criar uma marca que vai te destacar da concorrência. Baixe agora este super eBook! <<